BOLETIM DE OCORRÊNCIAS

sexta-feira, 30 de março de 2012

O vereador Márcio Pinto revelou ontem ao ATUAL que o município de Itaguaí não vai fazer convênio com o Departamento de Transportes Rodoviários (Detro-RJ).


Prefeitura não vai fazer convênio com o Detro
Parlamentar afirma que fiscalização no município é de responsabilidade da secretaria municipal de Trânsito

O vereador Márcio Pinto revelou ontem ao ATUAL que o município de Itaguaí não vai fazer convênio com o Departamento de Transportes Rodoviários (Detro-RJ). O órgão estadual havia informado por meio de sua assessoria de imprensa que a iniciativa do convênio devia partir do próprio município. Para o parlamentar, o Detro está tentando dar desculpas para os excessos que cometeu na cidade. Questionado sobre o motivo que leva a prefeitura não fazer o convênio, Márcio Pinto foi taxativo. “A fiscalização do transporte municipal cabe à Secretaria Municipal de Trânsito”, justificou.

Ainda sobre as polêmicas que envolvem o Detro, na sessão de terça-feira (27), Márcio Pinto apresentou um documento enviado ao Legislativo pela prefeitura, mostrando que, de fato, o órgão estadual não tem convênio com o município. “A Secretaria Municipal de Governo não encontrou em seus arquivos nenhum convênio celebrado entre o município de Itaguaí e o Detro”, informava o texto do documento.
O vereador Márcio Pinto foi além. “Este documento demonstra que as operações do Detro para o transporte municipal não têm legitimidade. Eu não sou contra as operações do órgão. Podem ocorrer, mas para o transporte intermunicipal, desde que ocorram fora do nosso perímetro urbano, para não atrapalhar o trânsito”, destacou Márcio Pinto.
 Solicitação de Sessão Pública 
As cooperativas do transporte alternativo de Itaguaí vão solicitar à Câmara Municipal de Itaguaí a realização de uma sessão pública para discutir melhorias do serviço e, principalmente, as polêmicas que ainda envolvem o Detro-RJ. Segundo Ubirajara Ribeiro, diretor da Cooperativa Rota do Sol, a ideia é mobilizar as autoridades e a população para tentar uma solução definitiva para o impasse.

De acordo com Ubirajara, com as operações do órgão estadual no município as cooperativas ficaram no prejuízo. Ele adiantou ao ATUAL que o departamento jurídico da categoria, já está protocolando uma ação na Justiça contra o Detro. Acrescentou ainda que ações individuais dos permissionários também serão protocoladas. “São ações contras as multas, apreensões dos veículos, abuso de poder, constrangimento, intimidação e até mesmo risco de vida, já que, em muitos casos, a polícia teve que intervir, o que poderia ter provocado uma tragédia”, pontuou Ubirajara.
Ainda segundo ele, cerca de 300 kombis fazem o transporte de passageiros no município, entretanto, ainda dependem de autorização expressa em documento da prefeitura. “Por isso, todas as cooperativas vão continuar em harmonia e na luta pela regularização total das kombis seja por meio de licitação ou de um decreto”, ressalta. “Na próxima reunião, vamos fazer um manifesto aos empresários, principalmente donos de postos de gasolina e de casas de autopeças, pedindo apoio ao transporte alternativo”, finaliza.
FRANCISCO LEÃO
francisco.leao@jornalatual.com.br
WELINGTON CAMPOS
Welington.campos@jornalatual.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário