BOLETIM DE OCORRÊNCIAS

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Parada gay é um ato político? Sim, deve ser. Nossa política é bizarra.


Não me considero homofóbico, tendo inclusive amigos gays, mas, com comportamento compatível com a sociedade. Nada de anormal se a relação entre pessoas do mesmo sexo se mantivesse dentro de quatro paredes, assim como é a relação dos heteros.
                                                                               Isso é o orgulho gay?
 
Dinheiro público e apoio de políticos, mostra a verdadeira face de nossos representantes, a desestabilização da família e exposição dos menores a este tipo de comportamento. Homossexuais andarem juntos é admissível, mas vai além, querem se beijar e se acariciar perante as famílias tradicionais, diante dos filhos criados numa postura de heteros.


A “parada gay”, que reúne um milhão de pessoas não teria esta adesão se não houvesse verbas. E de onde vem a verba?
Bebidas, cenas bizarras e outras que não ousaram mostrar, dita a realidade deste ato. Não o interesse em normas que lhes garantam direitos e deveres e sim a libertinagem como algo para sermos obrigados a aturar. Jovens se exibindo em meio a multidão como se fossem candidatos a encenar mais um filme pornô. Pra que isso se consideram a seriedade de seu intento?



Notadamente é de se considerar que se fosse um movimento sério, com comportamento adequado, não teria a presença que teve. Afinal. Quem não gosta de um carnaval fora de época? Ainda mais de graça e com verba pública.
Quero ver a presença de nossas "Autoridades" em eventos realmente de interesse público.




Porque as manifestações gay devem ser sempre assim em todo o mundo?

                                       Feministas de topless fazem protesto em Paris em prol do casamento gay

3 comentários:

  1. O relacionamento "convencional", ou seja, pessoas de diferentes sexos está muito longe de estar dentro de 4 paredes. Eles podem beijar, acariciar, andar de mãos dadas, se referirem um ao outro publicamente, as famílias poiando nas dificuldades emocionais, sociais, carências, tendo auxilio da previdência privada, citando alguns aspectos de início. Fica bastante claro, que o comentário em questão não passa de algo irrefletido, não merecendo pronunciamentos a respeito dos demais itens referidos. Infelizmente, somente após tanto tempo que li este artigo.

    ResponderExcluir
  2. seu texto é ridículo e movido de preconceitos, melhores amigo!

    ResponderExcluir
  3. Olha, não me interessa saber quem pintou a zebra, mas a primeira foto da matéria está show. Que bunda gostosa !!!
    Com um rabão desses, com certeza é orgulho gay.

    ResponderExcluir