Hospital é parcialmente interditado
O Hospital da Praia Brava, em Angra, foi parcialmente interditado na manhã desta quinta, por causa das chuvas que atingem a região. No início desta tarde faltava luz no hospital e as ruas do entorno estavam alagadas.
Chuva castigou Angra dos Reis, na Costa Verde | Foto: Divulgação
Chuva castigou Angra dos Reis, na Costa Verde | Foto: Divulgação
De acordo com o Hospital, que é administrado pela Fundação Eletronuclear de Assistência Médica, ao menos 40 pacientes foram transferidos para a Santa Casa de Angra dos Reis. A prefeitura pede aos moradores da região que recorram ao posto de saúde do Frade em caso de emergência.
Em Mangaratiba, também na Costa Verde, houve rolamento de pedras na BR-101 e na Estrada Junqueira. Em Constância um muro desabou e destruiu uma casa. O bairro de Conceição do Jacareí foi evacuado, mas não houve vítimas.

Chuva causa estragos na Baixada

    • 0302op13
    • 0302op13
    • 0302op10
    • 0302op11
    • 0302op02
    • 0302op17
    • 0302op31
    • 0302op31
    • 0302op36
    • 0302op15
    • 0302op14
    • 0302op120
    • 0301ac101
    • foto14
    • 0301fer01
    • 0301fer11
    • 0301fer09
    • 0301fer16
    • 0301ss103
    • 0301ss106
    • 0301ss111
    • 0301ss117
Diversos bairros ficam alagados e moradores sofrem com a força da água. Xerém, distrito de Duque de Caxias, foi o lugar mais afetado
Cabral determina formação de gabinete de crise
O governador Sérgio Cabral determinou na manhã desta quinta-feira a formação de um gabinete de crise no Centro Estadual de Gestão de Desastres (Cestad), na sede do Departamento Geral de Defesa Civil, na Praça da Bandeira, Zona Norte do Rio.
No local, o secretário de Defesa Civil, Sérgio Simões, vai acompanhar as ocorrências provocadas pelas chuvas no estado e definir um plano de trabalho em conjunto com as secretarias de Saúde, Obras, Assistência Social, Educação, Meio Ambiente e com o Departamento de Recursos Minerais (DRM).
Na manhã desta sexta-feira, Cabral se reunirá com o Ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, no Palácio Guanabara, também para discutir a situação provocada pelas chuvas no Estado e definir medidas emergenciais.
Defesa Civil do Estado divulga balaço dos estragos provocados pela chuva
A Defesa Civil do Estado do Rio, através do Centro de Estadual de Administração de Desastres (CEstAD), divulgou um balanço dos estragos causados pela chuva na Região Serrana, Costa Verde e Baixada Fluminense desde a noite desta quarta-feira. A morte de uma pessoa foi confirmada em Xerém, em Duque de Caxias. Cento e oitenta e duas pessoas estão desabrigadas em todo o estado. Neste momento, voltou a chover forte na Baixada Fluminense e Região Serrana. Ruas viraram rios em Duque de Caxias.
Bombeiros e agentes da Defesa Civil auxiliam as vítimas da chuva nestas regiões. De acordo com o órgão, rios transbordaram em Duque de Caxias, Petrópolis e Xerém. Na Região Serrana, as comunidades atenderam ao sistema de alerta montado pela Defesa Civil e deixaram suas casas. Já em Mambucaba, sul do Estado, houve deslizamentos. 
Duque de Caxias
Os rios Saracuruna, Inhomirim e Capivari trabsbodaram. Em Xerém, uma pessoa morreu. Mil pessoas foram desalojadas pela Defesa Civil e 250 desabrigados. Uma pessoa ainda está desaparecida. Foram enviados colchonetes e cobertores para as vítimas.
Petrópolis
Os rios Bingen e Piabanha transbordaram e 40 pessoas estão desalojadas. 
Houve escorregamentos em bairros como Independência, Siméria, São Sebastião – sirenes foram acionadas
Teresópolis
Transbordamento do rio Paquequer. Nas comunidades de Vale da Revolta, Perpétuo, Rosário, Caxangá e Pimentel, 50 pessoas foram desalojadas e as sirenes foram acionadas.
Deputado presenciou homem morto após ser arrastado
O deputado federal Washington Reis (PMDB), que já foi prefeito de Duque de Caxias e é morador da região, disse que viu um senhor que foi arrastado pela água e foi parar na Praça Central de Xerém e estava morto. O deputado disse que falou com o vice-governador do estado do Rio, Luiz Fernando Pezão, que já deslocou o subsecretário de obras do Estado, José Iran Peixoto, para auxiliar nos trabalhos.
Em alguns pontos, a água chegou a três metros de altura. Na localidade conhecida como Ponto Final, próximo ao Rio Capivari, várias casas foram destruídas. Moradores falam em dezenas de residências, mas ainda não há números oficiais. Casas também foram alagadas em Mantiqueira, próximo a antiga fábrica de caminhões FNM, na subida da serra. Famílias estão ilhadas porque, uma ponte ruiu parcialmente com o volume de água do Rio Capivari. Os bairros mais atingidos, até agora, em Xerém, são São Jorge e Nova Belém.
Moradores perderam móveis, alimentos, roupas e utensílios. De acordo com as primeira informações, cerca de 100 pessoas estão desabrigadas. Carros foram cobertos pela água. Bombeiros e equipes de Defesa Civil estão em Petrópolis, Teresópolis e em Xerém. Os desabrigados estão sendo abrigado em igrejas da região.
Em Angra dos Reis, na Costa Verde, bairros na região oeste foram alagados. Há cerca de 40 pessoas desalojadas e duas pessoas ficaram feridas. Na Rodovia Rio-Santos, houve quedas de barreiras. Bairros mais atingidos em Angra são Bracuhy, Frade e outros na área.
Região Serrana também é castigada pela chuva
Nos municípios da Região Serrana também choveu forte. Em Petrópolis, segundo a Defesa Civil do município, houve deslizamento no bairro Alto Independência, mas sem vítimas. Em Petrópolis, os Rios Bingen e Piabanha chegaram a transbordar em vários pontos e alagou bairros. Em Teresópolis, o Rio Paquequer também alagou alguns bairros e a defesa Civil chegou a acionar o sistema de alerta, com sirenes, por três vezes durante esta madrugada. Barreiras caíram ao longo da Rodovia BR 040 entre os KMs 87 e 88, sentido Rio, além dos KMs 95 e 93, sentido Juiz de Fora, em Minas Gerais. O trânsito ficou em meia pista nesses trechos.
Xerém, distrito de Caxias, foi o local mais atingido pela forte chuva | Foto: Osvaldo Praddo / Agência O Dia
Xerém, distrito de Caxias, foi o local mais atingido pela forte chuva | Foto: Osvaldo Praddo / Agência O Dia