BOLETIM DE OCORRÊNCIAS

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Continua limpeza em área atingida por vazamento

Inea nega vestígio no mar e Transpetro diz que só foram 50l.

Mas é claro que vai negar, vocês sabem que tem gente de Itacuruça lá dentro?
$ó ob$ervo.
Apesar de testemunhas e imagens mostrarem que ainda há muito óleo no local do vazamento e de pescadores da Baía de Sepetiba se mostrarem cada vez mais preocupados, tanto o Inea quanto a Transpetro minimizaram o acidente ambiental. Em nota enviada ao ATUAL ontem (23), o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) informou que o seu Serviço de Operações de Emergência (Sopea) continua com o trabalho de contenção e limpeza na região atingida pelo vazamento de óleo do duto da Transpetro, entre Itaguaí e Mangaratiba. Equipes do Inea fizeram dois sobrevoos na segunda-feira (22) em Mangaratiba e de acordo com os técnicos do Instituto não há vestígios de óleo na Baía de Sepetiba e, no mangue localizado na foz do Rio Itinguçu, apenas manchas mais finas.
O trabalho de contenção e limpeza está concentrado no trecho do Rio Itinguçu entre a BR-101 e a foz, com um total de cerca de 200 pessoas em ação. O solo e a vegetação contaminados estão sendo removidos e a água misturada com óleo aspirada para caminhões-tanque. Cinco pares de barreiras absorventes e de contenção continuam instaladas para evitar que o óleo chegue à Baía de Sepetiba. Durante a noite, equipes permanecem de vigia nas barreiras e no Rio Itinguçu para guarda dos equipamentos.
Funcionário da Transpetro trabalha na limpeza da foz do Rio Itinguçu. (Foto: Fatual RJ)
Funcionário da Transpetro trabalha na limpeza da foz do Rio Itinguçu. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário